Magnetoterapia

Atualmente grande número de pesquisas são realizadas no mundo o objetivo de esclarecer a influência dos campos magnéticos no corpo humano. A maioria delas concluíram que todos os organismos vivos são afetados pelo magnetismo, em maior ou menor grau, deduzindo-se, portanto, que o campo magnético tem um efeito sobre as propriedades magnéticas do corpo vivo. Atualmente pode-se afirmar que os efeitos dos campos magnéticos sobre os sistemas vivos incluem:

    • A diminuição do nível de toxidade dos organismos vivos;

    • O alívio da dor;

    • A promoção do crescimento das plantas;

Uma das maiores preocupações do ser humano gira em torno da cura de doenças, mas afinal o que é doença?
O fluxo de informações em nosso organismo tem de ser perfeito.  Uma simples alteração no ânimo de uma pessoa gera estados de desequilíbrio, ou seja, as violações das leis naturais do nosso sistema de informações causam estresse. Considera-se estresse qualquer coisa que esgote nossa energia e interfira no fluxo de informações vitais através de nossos corpos eletricamente operados. Quando isso ocorre, o corpo torna-se cada vez mais tóxico, em parte devido à eliminação defeituosa e em parte devido a materiais patogênicos produzidos por glândulas confusas e debilitadas. Pronto, isso já basta para que seu equilíbrio corporal seja afetado e seus sistemas não possam mais reagir de maneira correta contra a entrada de seres estranhos; ou seja, portas abertas para a infestação de diversos males.
Estresse = Corpo debilitado.

O Magnetismo

Desde o início dos tempos há manifestação magnética em nosso planeta. Os mais recentes trabalhos de um considerável número de físicos tem sido no sentido de entender a força eletromagnética como força primária do Universo da qual as demais, são derivadas.

O fenômeno vida desenvolveu-se num ambiente eletromagnético padronizado e qualquer ação que facilite a manutenção desse ambiente é favorável à vida.

A magnetoterapia, atuando principalmente sobre o Sistema Nervoso e os líquidos orgânicos tem recursos de estabilização de vários fenômenos biológicos ao facilitar as entradas e saídas do fluxo interno de informação no organismo.

A maioria dos fatores estressantes que caracterizam a vida moderna, fragilizam o organismo humano; uma vez fragilizado, o organismo necessita de ações naturais constantes e eficazes para sua defesa, bem como a manutenção de um estado saudável.

A magnetoterapia é um sistema de restabelecimento da saúde através da aplicação externa de magnetos permanentes, ou eletromagnetos nas áreas afetadas ou nas extremidades do corpo – uma força da natureza como a eletricidade.  É portanto um sistema natural de tratamento. Mas atenção, o tratamento com o magnetismo deve ser feito por profissionais do setor ou por produtos confeccionados por empresas  qualificadas para produzi-los. Não se deve sob nenhuma hipótese colocar magnetos no corpo sem conhecimento. A Kenkoline do Brasil está há 12 anos no mercado e possui milhares de clientes satisfeitos com a qualidade dos nossos produtos e dos benefícios recebidos.

O magnetismo atua sobre os elementos paramagnéticos do corpo, especialmente o sangue, e e sobretudo através do sistema circulatório que os efeitos do magnetismo se espalham por todo o corpo. Por isso, e importante entender como funciona o sistema circulatório humano.

O corpo humano contem entre cinco e seis litros de sangue, que circulam por todos os órgãos do corpo. As artérias, arteriolas e vasos capilares transportam oxigênio e outros elementos essenciais aos órgãos. Os mesmos vasos capilares levam para as veias o sangue usado, que contem toxinas e resíduos. Em seu caminho de volta para o coração, o sangue passa pelos rins, onde e filtrado, depois pelos pulmões, onde recebe oxigênio. O sangue, agora recarregado de novo oxigênio, chega ao coração, de onde e mandado de volta para os órgãos.

O sangue humano e composto de células ou glóbulos sanguíneos (45 %) e células plasmáticas (55 %). As células sanguíneas contem principalmente glóbulos vermelhos (eritrócitos), glóbulos brancos (leucócitos) e plaquetas. Uma célula ou glóbulo vermelho funciona como um pequeno recipiente para uma substância chamada hemoglobina, que da ao sangue a cor que lhe e própria. Uma molécula de hemoglobina contem ferro suficiente para tornar os glóbulos vermelhos levemente paramagnéticos e, portanto, sujeitos aos efeitos dos campos magnéticos.

As vezes as artérias ficam parcialmente obstruídas por depósitos de gordura ou acúmulos de cálcio ou colesterol. Devido a obstrução da corrente sanguínea  o suprimento de oxigênio, bem como de outros nutrientes essenciais, e reduzido. Felizmente, tem sido observado que o magnetismo ativa e acelera a circulação sanguínea  A hemoglobina magnetizada não apenas aumenta o suprimento de oxigênio, mas também possibilita uma melhor eliminação dos resíduos. Os órgãos internos que tem suas necessidades bem supridas demoram mais a se desgastarem.

Uma melhora na circulação do sangue e sempre benéfica, uma vez que um suprimento maior de oxigênio contribui para o funcionamento ideal de todos os órgãos do corpo e fortalece o sistema imunológico. O magnetismo também reduz os níveis de colesterol e os depósitos de cálcio nos vasos sanguíneos  Os magnetos não apenas curam, mas também tem um efeito sinergético  permitem que o corpo recupere o equilíbrio e tenha mais defesas contra as invasões externas.

 CONCLUSÕES

Quando o magneto é aplicado no corpo humano, ondas magnéticas passam através dos tecidos e correntes secundárias são induzidas. Quando estas se chocam com as correntes magnéticas, produzem calor de impacto. Tal calor é eficiente e auxiliar na redução de dores e inchaços. O movimento da hemoglobina nos vasos sanguíneos é acelerado e auxiliam na diminuição dos depósitos de cálcio e colesterol no sangue. Por indução magnética é gerada uma sensível corrente elétrica que estimula e facilita a emissão de estímulos de sistema nervoso. É promovida a secreção de hormônios e sua distribuição é facilitada pelo maior grau de ionização.

Concluímos, pois, que não devemos esquecer que o corpo cura a si mesmo, a Magnoterapia não. Ela estabelece a coerência nos campos corporais elétricos para que não haja ausência de informações e vitaliza as células pelo processo de interferência construtiva. Em outras palavras, a Magnetoerapia estimula a  manifestação da força curativa natural.

“A base da cura da doença não está na medicina nem nos medicamentos, mas na elevação da força na curativa natural.” Hipócrates.

Então, o que vem a ser força curativa natural? Trata-se da força da alta recuperação (autocura) da qual o organismo humano é dotado originalmente contra doenças, ferimentos e outras anomalias.

 LEMBRE-SE:      O OTIMISMO É FONTE NATURAL DE QUALQUER PROCESSO DE CURA.

A Magnetoterapia ou Terapia Magnética ou Imaterapia, é por excelência, a técnica que aplica campos magnéticos com o objetivo de recuperar e manter a saúde.

Últimas Postagens

Contato

Rua Rio Grande do Norte, 01-38 - VL. Cardia Bauru, SP
Cel:(14) 98183-3047
Fax: (14) 3227-2988
Website: http://kenkoline.com.br
Email: atendimento@kenkoline.com.br